Adultez Emergente no Brasil: uma novas perspectivas da psicologia do desenvolvimento

  • segunda-feira, setembro 10, 2018
  • por Alessandro Borges
  • 0 Comentários



Apresentamos o livro que traz um assunto da atualidade. Atualmente tem-se estudado e discutido, por  pesquisadores do desenvolvimento humano, o tema da Adultez.

Em sua definição, está designada a forma prolongada da entrada do jovem na vida adulta. Esse fenômeno, que antes era um entendimento exclusivo dos países desenvolvidos e industrializados, agora vem aparecendo em lugares como o Brasil, um pais em desenvolvimento. O livro Adultez Emergente no Brasil: novas perspectivas da psicologia do desenvolvimento, da editora Vetor, consegue fazer com que tal assunto seja compreendido de uma forma muito clara e fica explícita a preocupação dos seus organizadores ao passar as informações para os leitores. De forma esclarecedora eles discorrem assuntos que talvez se colocados de uma outra forma não seriam tão fácil de entender, demonstra que valores que antes demarcavam a entrada na vida adulta do sujeito já não são mais de tanta importância e foram  ficando para trás, logico que isso não se refere a todos, ainda existem ocasiões onde a tradição é mantida, isso fica bem claro no livro. Antigamente o que determinava a entrada na vida adulta, era quando no final da adolescência, o sujeito encontrava um emprego, que muita das vezes perdurava até o final da vida. Se casava e  iria viver em prol da família. Hoje com eventos que vem acontecendo na nossa sociedade acabam mudando esse ponto de vista sobre o que é a adultez: a mulher moderna que acaba tendo que adiar tanto o casamento quanto a maternidade para poder ocupar e desempenhar o seu espaço, conquistado através de tanto esforço no mundo. A chamada geração canguru, jovens que optam por sair de casa mais tarde tendo assim um tempo maior para se escolher o que quer fazer da vida e assim também tendo uma liberdade financeira maior onde ele pode empregar o seu dinheiro em cursos de aperfeiçoamento e viagens. Sua escolha profissional passa por sua identidade e não mais apenas para ter como criar a sua família, esses assuntos e outros demais são discutidos no livro.

A obra é dividida em duas partes, e essas são destrinchadas em vários capítulos que irão colocar de uma forma bem ampla assuntos da modernidade e das novas subjetividades. Na primeira parte o livro trata do assunto trazendo teorias e dados estatísticos, passando por autores do desenvolvimento como Erick Erikson e John Bowlby, e também teorias como a do Life-spam para explicar esse fenômeno. Na segunda parte ele nos traz uma visão de como a situação se dá em casos não tão simples, mas não menos recorrentes, como por exemplo mães que engravidam na adolescência e jovens que crescem em áreas de extrema violência e de poucos recursos, e discute de uma forma muito aberta como esses jovens entram na adultez emergente. Digamos que trata-se de um assunto a ser ainda muito discutido, e essa obra acaba por nos dar um rumo para onde devemos direcionar os nossos estudos a esse respeito, podemos dizer que esse livro mostra o fenômeno de uma forma inovadora em nosso meio. Para quem tem interesse na área fica essa dica de leitura. 

Resenha: Alessandro Borges e Eli Antônio Cury.



Você pode se interessar também por:

0 comentários